Imagens que despertam lembranças

Foto: Paulo Barros

Essa imagem, colhida de um perfil do facebook, me é familiar. Fui criada passando férias no sítio do meu avô, João Paulo, onde era comum o uso da vestimenta de couro. Sempre que adentrava o mato à procura do gado, meu avô se vestia dessa forma. Creio que para se proteger, pois a vestimenta de couro evitava ferimentos quando precisava entrar em mata fechada, correndo em cima de um cavalo.

A casa, ao fundo, também desperta lembranças. Assim, também, era a casa de meu avô. Toda alpendrada e cercada por parapeitos, onde sentávamos a observar a paisagem em torno, composta por um açúde e um curral de gado na lateral da casa. No terraço, debulhávamos o algodão e o feijão retirado da roça e a noite, nos reuníamos para conversar ou jogar, até certa hora da noite.
foto de Paulo Barros
Lembro que era comum a chegada de muitos vaqueiros vestidos em seu jibão de couro, de passagem pelas terras de meu avô e que, almoçavam, davam água ao gado e muitas vezes pernoitavam. Receber aqueles vaqueiros era um gesto muito espontâneo por parte de meu avô. Creio que uma troca de gentilezas, pois, meu avô, volta e meia, também saia com boiadas e, de certo, era recebido da mesma forma por onde andava.
Minha infância foi por demais marcada com os quadros do sertão. Uma imagem como a que ilustra esse texto desperta muitas lembranças e reaviva muitas emoções.
Compartilhe:

Deixe uma resposta